Follow @KingNurk

sábado, 16 de julho de 2016

The Final Chapter of a Forsaken and Stupid Mistake that Should Never Even Exist

I feel so alone,
Suffocated in emptiness,
All gone, and all I need is to go back home

I keep on breathing, painfully in vain
All I ever had, nothing but a stain,
Gone.....

Yelled for help, so much that I lost my voice,
Kinda jaded, now I see I have no choice
It is what it is, and it will be
Exactly the way it have to be,
I'm ready, Death, to embrace your call,
Please, just take me

A pathetic and miserable existence,
Completely useless, I have become
I have no choices left but to run,
Since I don't have a gun
Don't need hope, just give me a rope,
This constant voice, seens like I have no choice,
Must find a  way to answer, this constant Death's call,
One way or another, it's about time to finally end it all

From the dungeons in nowhere, I yelled for help,
Until I realized no one would hear,
No one here,
Only me, and myself,
So I was my only ally, the only one who could save me,
Or at least just release me....

From this weak and despicable mortal coil,
Just bury it deep in the soil, and let it fade,
Just like my spirit already faded,
It's just too late, and it was all just a mistake,
That needs to be fixed, and I will figure out how to do it,
For I no longer belong to your world, to this planet,
There is no more place for me, the evidences are clear,
I must now just find a way to disappear

It's all in vain, it was all in vain,
Nothing left of me, but a stain
Nothing left to feel, but pain,
I look around, when I try to reach someone,
Gone....Everybod's gone,
I'm all alone, with myself,
All the time, with all the ghosts,
Hammering in my head

Useless, worthless, my existence have become
Gone...All is gone,
Gotta fix this terrible mistake,
I crave for Death, please show me the way to my grave,
I'm too tired, have no more reason to fight,
Don't know why I still try to run,
I'm done

And here I am, for no reason at all
I'm ready, just show me how to answer your call

Gone...All alone
Overtaken...And forsaken

(Fall after fall, I wonder if I still will even make it back home, after all)



quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

11 Bandas/Artistas que não consegue viver sem

Se só pudesse, seja por um determinado período de tempo, ou permanentemente, ter acesso á música de 11 Bandas/Artistas, quais seriam estes essenciais para você?

(Compartilho a minha lista e para cada um que enviei este link, peço que também faça e compartilhe a sua lista, a idéia é essa, intercâmbio)

Smashing Pumpkins

System of a Down

Garbage

Arch Enemy

Alice in Chains

Korn

Nine Inch Nails

The Joy Formidable

Placebo

Bauhaus
Deftones


Qual a sua lista?

Best of the Year on Music 2015 - Results

Best Male Artist:

Ghostpoet

Best Female Artist:

Katy B

Best New Artist: 

Nothing But Thieves

Best Pop: 

R5

Best Rock:

Halestorm


Best Alternative: 

Kendrick Lamar

Best Album:

Halestorm - Into the Wild


Best Song: 

Demi Lovato - Cool Like Summer

Best Electronica:

Chvrches

Best Metal:

Lamb of God

Best Live Act:

System of a Down

sábado, 5 de dezembro de 2015

Best of the Year 2015 on Music

Best Male Artist:

Ghostpoet
Ed Sheeran
Kendrick Lamar
Armin Van Buuren
Drake
Skrillex
Deadmau5

Best Female Artist:

Zendaya
Naomi Scott
Katy B
Demi Lovato
Sabrina Carpenter
Adele
Carly Rae Jepsen

Best New Artist: 

Royal Blood
Love Like Suicide
Sabrina Carpenter
Butcher Babies
Paloma Faith
Kendrick Lamar
Halestorm
Nothing But Thieves

Best Pop: 

Demi Lovato
Zendaya
R5
Sabrina Carpenter
Naomi Scott
Drake

Best Rock:

Halestorm
Veruca Salt
Ghost
The Subways
Faith no More
Marilyn Manson
Blur

Best Alternative: 

The Never Ending
Public Enemy
Kendrick Lamar
Royal Blood
Ghostpoet
Nothing But Thieves


Best Album:

Marilyn Manson - The Pale Emperor
Sabrina Carpenter - Eyes Wide Open
Ghost - Meliora
Kendrick Lamar - To Pimp a Butterfly
Halestorm - Into the Wild
Coal Chamber - Rivals
Chvrches - Every Open Eye


Best Song: 

Ghostpoet  - Sorry My Love, It's You, Not Me
Sabrina Carpenter - Can't Blane a Girl for Trying
Ghost - Cirice
Demi Lovato - Cool Like Summer
Marilyn Manson - Deep Six
Faith No More - Black Friday
Kendrick Lamar - These Walls
Halestorm - I Like it Heavy


Best Electronica:

Armin Van Buuren
Prodigy
Chvrches
DeadMau5
La Roux
Krewella


Best Metal:

Coal Chamber
Slipknot
Nervosa
Kataklysm
Disturbed
Korn
Lamb of God

Best Live Act:

Halestorm
Zendaya
System of a Down
Slipknot
Paloma Faith
Nervosa
Trivium
Krewella
Chvrches

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Sobre NFL

Após alguns poucos anos acompanhando e me interessando cada vez mais pela NFL, algumas coisas estão bem claras agora:

Times Favoritos:

1 - Minnesota Vikings (Quando se trata de ligas esportivas norte - americanas, eu tendo a ser um tanto quanto masoquista, e por alguma razão que eu mesmo desconheço, sempre adorei Minnesota)

2 - Seattle Seahawks (São de Seattle, têm Richard Sherman, e um estilo de jogo que a mim é muito agradável de se ver)

3 - Baltimore Ravens (Além de tb ser um time agradável de se ver jogar, são da Terra de Edgar Allan Poe, e se chamam RAVENS, isso já basta)

4 - Arizona Cardinals (Esse não sei pq adquiri simpatia, há uns 2 anos já, afinal que me lembre até essa temporada atual em que estão bem, vinham sendo meros coadjuvantes. Mas sei lá pq, simpatizei quando realmente comecei a acompanhar - E a entender - O jogo)

5 - Pittsburgh Steelers (Não sei ao certo, mas é um time que tb gosto de ver jogar, e o nome é legal tb, é de Pittsburgh, mas nada é perfeito)

Times que Detesto:

1 - New England Patriots (Claro que há aí um tanto de influência de algumas pessoas, mas vejo aqui e ali que tanta repulsa por eles não é gratuita, exalam arrogância, tanto torcedores quanto jogadores, alguns então, ainda mais. São bem antipáticos, sei lá.)

2 - Chicago Bears ( Não sei bem pq, mas antipatizo)

3 - Green Bay Packers (Esses "Cabeça - de - Queijo" capiriras tb são um tanto quanto antipáticos, arrogantes, embora o time em si seja interessante.)

4 - Miami Dolphins (Não chego a detestar, só não entendo o propósito de sua existência, e tenho uma propensão natural a antipatizar com Miami e com os times de lá, em geral)

5 - Vago, pois os outros ou são neutros ou simpatizo.


Um desses neutros mas que me chama a atenção é o Buffalo Bills. Uma franquia bem tradicional e importante na liga, mas que é uma espécie de Boston Celtics, não ganha nada há milênios, a torcida sofre horrores, e deve ser o recordista de vice - campreonatos, certa vez tiveram uns 3 ou 4 vices consecutivos.

Há também aqueles com os quais simpatizo, e costumo até torcer para se darem bem: San Francisco 49Ers, Tampa Bay Buccanners, Indianapolis Colts, e Atlanta Falcons. Ah, o San Diego Chargers também é legal.

Nesta temporada, como o Ravens vai péssimo (Provavelmente pq passei a me interessar por eles), e o Vikings...Bom, é o Vikings, só espero que alguém consiga parar o Patriots, por mais difícil que pareça. Mas aquele que o fizer, também ganhará a minha simpatia.







quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Nada

Eu tinha que desligar a mente. Não sei quantos comprimidos consumi, nem o quanto de cada substância inalei, e não importa também, porquê importaria? O objetivo não era novidade, o último recurso quando nada  mais funciona e o peso e a dor já não são mais suportáveis: Apenas desligar a mente por um bom tempo para que assim ela descanse e se recupere. Há tb sempre, uma parte de mim, que agora já na vaga esperança - Deseja que aquele coma seja permanente, que seja enfim uma porta para a paz e o descanso. Vaga, pois já ficou mais que evidente que não é assim que irei me libertar. Ainda assim, há essa parte que diz "Quem sabe...." Mas não, sei que não serei tão afortunado, então não é sequer este o objetivo, afinal.

Como sempre, pude sim, neste semi - coma arttificial - Tão artificial quanto tudo e todos á minha volta - Atingir tal objetivo de "Esfriar o Motor", e passar por todos os estranhos processos de recuperação. Porém, paz e descanso já não encontro mais, há muitos anos, sequer no sono artificial. Pois é no sono que todos os fantasmas e delírios que me assolavam enquanto acordado, desfilam total e livremente. É quando todos aqueles cadáveres flutuantes me abraçam, é quando todos aqueles rostos familiares, porém distantes e putrefatos, zombam de mim, enquanto eu mesmo também estou ali, entre eles, rindo como idiota, de um idiota, e de tudo que é tão idiota. Durante este logo período, que não sei ao certo tampouco me interessa calcular, também como sempre o espectro da minha progenitora - Que veste seu disfarce de "Mãe" - Tem liberdade total para me assombrar, me encontro totalmente indefeso, quando estava semi - acordado antes, conseguia ao menos mudar os canais no controle remoto, e assim mantê-la longe, no seu devido lugar. Mas no sono, não tenho "Defesa" alguma, e no fim, toda a morte e a putefação que me envolvem acabam sendo intoxicantemente confortáveis. É uma espécie de descanso, afinal, talvez. Mas uma hora terei que despertar, e irei querer despertar, pois tenho coisas a fazer, coisas que quero fazer, e já está claro a esta altura que não, não me libertarei, não dormirei para sempre. Sinto que meu coração ainda bate de forma irritante, comprovando que estou de fato, "Vivo".

Preciso então deixar tudo isto para trás e retomar meu caminho, que ao menos sei qual é. Dou início a todos os processos, pequenas tarefas domésticas, satisfazer a "Fome" do TOC, e satisfazer a minha própria com uma "Papa" de um suplemento vitamínico (Que provavelmente não alimenta nada, afinal, é da Nestlé, e eu não sou nada ingênuo também), misturado com leite morno (Desnatado, o único tipo que meu organismo ainda consegue processar), e como de má vontade aquilo, apenas para não ser incomodado pela fome mesmo. Me arrasto então, ainda recobrando a consciência para cumprir os protocolos do TOC, e tomar banho para ver se minhas dores, físicas no caso, se aliviam um pouco, especialmente a excruciante dor de cabeça. Custo a lembrar exatamente quem sou, onde estou, quem são aquelas pessoas, e mesmo depois que me lembro, tudo ainda parece tão estranho pra mim. Me pergunto se realmente estou ali, aqui, em algum lugar, ou em lugar algum, o que também logo perde a importância, em meio áquela "Voz" tão familiar - Entre tantas outras, que me cumprimenta com o sarcasmo de sempre e começa a repetir, como sempre suas tantas idéias sobre suicídio, homicídio - "E porque não ambos???" - Mas neste momento estou imune a tais provocações, e assim deverei permanecer por um bom tempo, mas ele continuará lá, falando, e com argumentos totalmente plausíveis e lógicos, que, aliados á certas vontades e tendências que residem em mim, talvez faça com que hoje, amanhã, semana que vem, ou um dia qualquer, eu acabe cedendo ao que ele propõe. Mas não importa, se assim tiver que ser, assim será, não é algo que eu possa realmente decidir, então me foco no que posso de fato decidir e controlar, no que realmente depende de mim apenas. E o deixo falando sozinho, para agora aproveitar um breve instante de paz, enquanto todos os outros imbecis que habitam minha mente não despertam, e posso então ter minha mente só pra mim.

Aproveitar o meu chá, a minha música, a companhia do meu filho felino, e deles - Dos fantasmas, dos espectros putefatos, flutuando para lá e para cá, como que talvez, dançando? Não me incomoda, pois a Morte é e sempre foi minha constante companhia, de uma maneira ou de outra. No fim, eu sou apenas um deles, afinal. Isso não é ruim. O problema não reside na morte, e sim, na vida, ou na ausência dela. Fundamentalmente, a falta de controle, em geral, também é o problema. Como recuperei o controle da "Chave Principal", então o resto se arranja, fica secundário, por ora, é claro. A Morte e a constante putrefação voltam a serem agradáveis companhias e remédios - Pois não está mais fora de controle - Não estou mais preso a uma caricatura de um típico personagem de Jörg Buttgereit -  retornei ao meu estado natural de uma caricatura tosca de Poe e de Shakespeare.

Voltei consequentemente também, ao meu estado atualmente natural, de não conseguir tocar nem sentir realmente nada além de dor. Então nela busco também alguma paz e conforto. Quando o sangue escorre, não é apenas um deleite, é um útil, talvez necessário lembrete: Sangue é vida. É através do sangue que podemos encontrar alguma vida real. Pois tudo o mais agora é artificial, eu mesmo e tornei um tanto artificial, de certa forma.

E é estranho - Como tudo o mais na minha existência terrena o é - Mas com a recuperação agora em torno de 80%, eu enfim me lembro porquê estou aqui afinal de contas, e o quê, e pq, quero e devo fazer. Eu estou vazio e morto por dentro, minhas feridas internas, abertas, jorram sangue incessantemente, a dor é indescritível, torna quase nula as dores externas, a dor de cabeça, a náusea, o desconforto estomacal, a queimadura (Afinal, meu leal filho felino sempre dá o troco quando tem sua vontade desrespeitada - Ainda tenho muito a aprender com ele), mas....Em meio á tudo isto, eu mais uma vez me ergo. Não tenho opção, eu tenho um destino a cumprir. Portanto, por mais paradoxal que possa ser, e não o é por acaso, eu me levanto novamente agora, e retorno ao campo de batalha, enfermo, debilitado, ferido, e tomado totalmente pela dor. Mas é também graças a ela que retomo minha caminhada. Eu me alimentarei da dor e caminharei com a Morte ao meu lado, como sempre foi. Eu me alimentarei da minha própria dor, derramarei meu sangue amaldiçoado por onde passar, e se a dor acabar me sobrepujando em definitivo, e eu não tiver então como evitar a queda também definitiva, e se assim tiver que ser, pouco me importa, eu abraçarei meu destino seja ele qual for, pois sei que seja como for, no fim desta longa estrada encontrarei a libertação, e terei então afinal paz, sossego, silêncio, meus tantos ferimentos aos poucos irão começar a se curar, e eu enfim descansarei, seja neste planeta ou fora dele. Seja na Terra, ou em "Casa".

Dores e devaneios - Sim, talvez a previsível impressão de que todo este relato é fruto de uma mente doente - Um "Louco" - não esteja de todo errada, pois minha sanidade, assim como tudo o mais, está sempre por um fio, é provável que eu não conserve mais minha sanidade em sua totalidade, mas é importante ressaltar que considerando tudo que tive que superar para chegar até aqui, e o que ainda tenho que lidar e superar todos os dias, o fato de eu ainda conservar, na pior das hipóteses, uns 95% da minha sanidade, é um triunfo digno de nota, certamente poucos indivíduos conseguiriam isto, de modo geral, e eu consegui, de algma forma que na verdade, nem eu mesmo sei como. Mas fato é que consegui, e seguidamente cometem o erro de me julgar um "Doente Mental", quando na verdade minha mente se encontra doente, danificada, o que é BEM diferente...Mas deixe-os pensar assim, não faz diferença, e é até conveniente. Só o que sei é que querem estar certos, e não lhes negarei tal necessidade, mas sei também que no fim, ironicamente, se arrependerão disto, e desejarão estarem errados. Mas ai já será tarde demais, na verdade, de modo geral, me parece que já é tarde demais, seja como for. E não importa. Estou cansado demais para questionar o incerto e o subjetivo, dirijo meu foco no concreto apenas. E se sou "Insano" como tanto desejam e tentam fazer com que eu seja, então estou no lugar certo, em um mundo que nada mais é do que um hospício, repleto de doentes mentais e espirituais. Porquê eu deveria contrariá-los? O que o insano diz e faz, não deve ser levado muito a sério, não é realmente relevante. Se eu sou, o que sou, que cada um veja como quiser, a mim tanto faz, não é importante, pois eu também não sei ao certo. Ou sei. O que sou? Nada. E tudo isso que eu disse, porquê disse? A priori para tentar dar um pequeno "Insight" do meu inferno, em parte apenas uma necessidade espontânea, mas em última conclusão, tudo isso é sobre nada, e foi escrito por ninguém.

Eu sou nada. Pertenço ao nada. Tudo é nada. Pobre da massa ordinária, que acha que é alguma coisa, quando no fim são ainda menos que eu. Sim, no fim eles que são literalmente nada. Eu sou só um Zero. E Zero é melhor do que nada.

E agora, o maldito sol já começa a anunciar sua presença, um sol artificial, para iluminar mais um dia artificial neste mundo artificial, que para as pobres massas é tão real. E eu seguirei, apenas isto. E eu serei o que sou. Apenas isto. O resto? Donaka. E isto importa?

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

"Irmãos" Futebolísticos (Só pra descontrair mesmo)

Alguns, muitos clubes até, independentemente de país, continente, e tudo o mais, têm sem dúvida algum parentesco, observo isto e acho algo interessante e curioso, o desafio que proponho aqui é identificar, na sua opinião, porquê estes clubes são , por assim dizer,"Irmãos".

PS: Não considerei apenas o momento atual de cada um, mas toda a história e características gerais de cada um.


1 - Arsenal (ING) e Fluminense (BRA)
2 - Vasco da Gama (BRA) e Hamburgo (ALE)
3 - América de Cali (COL) e Valencia (ESP)
4 - Manchester City (ING) e Cruzeiro (BRA)
5 - River Plate (ARG) e Porto (POR)
6 - Stoke City (ING) e Chapecoense (BRA)
7 - Club América (MEX) e Liverpool (ING)
8 - São Caetano (BRA) e Portsmouth (ING)
9 - Paris Saint - Germain (FRA) e Internacional (BRA)
10 - Botafogo/RJ (BRA) e Sporting (POR)